Skip to main content

Uso de tecnologia em sala de aula promove o engajamento dos estudantes

A gamificação na educação é considerada uma metodologia ativa de aprendizagem. A modalidade consiste em utilizar jogos e recursos tecnológicos para ensinar, fixar ou revisar um conteúdo de forma lúdica e divertida. Esse modelo de ensino já fazia parte do ambiente escolar, mas com a pandemia veio para ficar. No Sigma, um exemplo disso são as aulas de Língua Portuguesa, onde os nossos professores têm usado as plataformas Kahoot e Quizizz, que permitem a criação de jogos de múltipla escolha e quizzes. 

A professora dos Anos Finais Angélica dos Anjos acredita que é importante inovar e trazer para a sala de aula novos meios para auxiliar na abordagem dos conteúdos. “Quando falamos de inovação é importante que a tecnologia esteja presente de alguma forma. Não podemos deixar a gramática, os livros paradidáticos e as aulas expositivas de lado, mas também precisamos engajar esses estudantes”, afirma. “E hoje, nós sabemos que o uso da tecnologia é o que os envolve e, por isso, precisamos incluí-los cada vez mais na nossa rotina, pois se torna algo mais lúdico, diferente e prazeroso para eles”. 

Ela explica que utiliza as ferramentas para fixação de conteúdo ou revisão de alguma obra literária que esteja sendo trabalhada em sala de aula. “Geralmente são 30 perguntas ou análises de frases com apenas uma resposta correta e os jovens respondem individualmente”, conta. “É uma forma de eles verificarem o grau de conhecimento que estão e o que precisam focar mais nos estudos para a prova”. 

As ferramentas estão mais do que aprovadas pelos estudantes, segundo a professora. “A participação da turma é sempre de 100%”, conta. “Eles ficam bem ansiosos para o dia dos jogos. Como ao final é criado um ranking, eles muitas vezes estudam até a mais para conseguir ficar nos primeiros lugares do pódio. Ou seja, a modalidade pode ser uma aliada para que eles estudem e tentem fazer mais exercícios no dia a dia, pois sabem que mais pra frente vão precisar desse conhecimento”. 

Além do Kahoot e do Quizizz, Angélica também trabalha com a criação de mapas mentais e promove atividades diferenciadas dentro dos stories no Instagram. “Eu tenho um perfil profissional só com alunos e ex-alunos onde eu crio várias enquetes com conteúdos relacionados ao que eles estão aprendendo em sala de aula e a participação deles é enorme. E também é uma forma de envolver a família, visto que alguns deles são muito novos para ter um perfil na rede, então eles utilizam o dos pais”.